Apresentação dos blogs

“Para mim, as pessoas pobres são como árvores de bonsai. Quando você planta a melhor semente da árvore mais alta em um minúsculo vaso de flor, você consegue uma réplica da árvore mais alta, com apenas polegadas de altura. Não há nada de errado com a semente que você plantou; apenas a base do solo que você deu é insuficiente. As pessoas pobres são pessoas bonsai. Não há nada de errado com suas sementes, mas a sociedade nunca lhes deu a base adequada para crescer. Tudo o que é preciso para que as pessoas pobres saiam da pobreza é criarmos um ambiente que lhes seja favorável. Uma vez que os pobres possam liberar sua energia e criatividade, a pobreza desaparecerá muito rapidamente “.
Muhammad Yunus (Nobel da Paz em 2006) em Building Social Business: The New Kind of Capitalism That Serves Humanity’s Most Pressing Needs (English Edition) eBook Kindle – posição 148

“Eu sei que a maioria das pessoas que são consideradas inteligentes, e que são de fato inteligentes — capazes de compreender os mais difíceis raciocínios científicos, matemáticos e filosóficos —, muito raramente são capazes de entender uma verdade simples e óbvia, se ela for de natureza tal que exija que essas pessoas admitam que possa estar errado um julgamento que formaram sobre alguma coisa, às vezes com grande esforço — um julgamento do qual têm orgulho, que ensinaram a outros e com base no qual organizaram toda a sua vida.”
Leon Tolstói, no livro O que é Arte? (início do capítulo XIV)

blog Editorial Viver 5S

No blog Editorial Viver 5S você vai encontrar os cinco sensos com ênfase na qualidade de vida, com toque literário, humor e desafios para você verificar a aplicabilidade do 5S em seu dia a dia. As postagens são convites a pensar para agir saudável.

Contraponto

Como disse Leon Tolstói na citação, mesmo pessoas muito inteligentes podem não aceitar que suas convicções sejam questionadas. Portanto, o que extrapolar o consenso sobre o propósito do 5S não será tratado dentro do escopo do Viver 5S.

blog Além da Borda

No blog Além da Borda, as publicações são convite a quem se permite pensar sobre o que está além dos limites dos costumes, das tradições religiosas e políticas. Para defender a vida, é necessário perguntar, entender o que está além da borda.
Share This